TAYANE SANSCHRÍ

quarta-feira, 9 de novembro de 2011


[...] ambos se completam e mesmo ausentes,
ou distantes jamais se distanciam ou se esquecem
porque um é a metade do outro.

[Autor desconhecido]

2 comentários:

  1. Os olhos que choram
    Não sabem mentir
    As mãos que me tocam
    Levam à alma o sentir

    O abraço sincero
    Aplaina meu corpo frio
    Veste-me de sol ardente
    Solta meu sonho em azul rio

    Os sonhos perdidos
    As juras e promessas que fazia
    Guardei-as num cofre
    Lancei à maresia

    Mágico beijo

    ResponderExcluir
  2. Assim somos eu e meu amor. Lindo, lindo, lindo!

    ResponderExcluir